Auto de Fé de Barcelona


Maurice Lachâtre, editor francês, achava-se estabelecido em Barcelona com uma livraria, quando solicitou a Kardec, seu compatriota, em Paris, uma partida, encomenda-lhe 300 volumes, entre os quais "O Livros dos Espíritos", "O Livros dos Médiuns", coleções da Revista Espírita, obras e brochuras diversas sobre o Espiritismo, para vendê-los na Espanha.

Quando os livros chegaram ao país, foram apreendidos na alfândega, por ordem do Bispo de Sevilha, DON ANTÔNIO PALAÚ Y TERMENS , sob a alegação de que "A Igreja católica é universal, e os livros, sendo contrários à fé católica, o governo não pode consentir que eles vão perverter a moral e a religião de outros países". O mesmo eclesiástico recusou-se a reexportar as obras apreendidas, condenando-as à destruição pelo fogo em praça publica, ato executado em 09 de outubro de 1861 ás 10:30 horas.

Examinando-se este assunto do ponto de vista de suas conseqüências, diremos primeiro que não houve senão uma voz para dizer que nada podia ser mais feliz para o Espiritismo. A perseguição sempre foi aproveitável à idéia que se quis proscrever; por aí se lhe exalta a importância, se lhe desperta a atenção, e fazendo-o conhecer por aqueles que o ignoram. Graças a esse zelo imprudente, todo o mundo, em Espanha, vai ouvir falar do Espiritismo e quererá saber o que é; é tudo o que desejamos. Podem-se queimar os livros, mas não se queimam as idéias; as chamas das fogueiras as super-excitam em lugar de abafá-las. As idéias, aliás, estão no ar, e não há Pirineos bastante altos para detê-las; e quando uma idéia é grande e generosa, ela encontra milhares de peitos prontos para aspirá-la. O que se lhe haja feito, o Espiritismo já tem numerosas e profundas raízes na Espanha; as cinzas da fogueira vão fazê-las frutificar. Mas não será só na Espanha que esse resultado será produzido, é o mundo inteiro que lhe sentirá o contragolpe. Vários jornais da Espanha estigmatizaram esse ato retrógrado, como o merece.

Entre as numerosas comunicações que os Espíritos ditaram sobre esse acontecimento, destacaremos duas que resumem todas as causas e todas as conseqüências:

"O amor da verdade deve sempre se fazer ouvir: ela dissipa a névoa, e por toda a parte brilha ao mesmo tempo. O Espiritismo chegou para ser conhecido por todos; logo será julgado e colocado em prática; quanto mais houver perseguições, mais depressa esta sublime Doutrina chegará ao seu apogeu; seus mais cruéis inimigos, os inimigos do Cristo e do progresso, com isso se surpreendem de maneira que ninguém ignore que Deus permite àqueles que deixaram esta Terra de exílio de retornar para aqueles que amaram. Tranqüilizai-vos; as fogueiras se extinguirão por si mesmas, e se os livros são lançados ao fogo, o pensamento imortal lhes sobrevive." DOLLET. Nota. Este Espírito, que se manifestou espontaneamente, disse ser o de um antigo livreiro do século dezesseis.

" Era preciso alguma coisa que ferisse, com um golpe violento, certos Espíritos encarnados para que se decidissem ocupar-se desta grande Doutrina que deve regenerar o mundo. Nada é inutilmente feito sobre a vossa Terra, para isso, e nós, que inspiramos auto-de-fé de Barcelona, sabíamos bem que, assim agindo, faríamos dar um passo imenso para a frente. Esse fato brutal, inaudito nos tempos atuais, foi consumado para atrair a atenção dos jornalistas que permaneciam indiferentes diante da agitação profunda que abalava as cidades e os centros Espíritas; deixavam dizer e deixavam fazer; mas se obstinavam em fazer ouvido de mercador, e respondiam pelo mutismo ao desejo de propaganda dos adeptos do Espiritismo. Por bem ou por mal, é preciso que dele falem hoje; uns constatando o histórico do fato de Barcelona, os outros desmentindo-o, deram lugar a uma polêmica que dará volta ao mundo, e da qual só o Espiritismo aproveitará. Eis por que, hoje, a retaguarda da inquisição fez seu último auto-de-fé, porque assim o quisemos." SAINT DOMINIQUE.

Fonte

LITERATURA ESPÍRITA .COM.BR

WIKIPÉDIA

5 comentários:

Du disse...

Texto interessante, Carol!

Que você tenha uma semana iluminada, chei de paz, amor e muita saúde!

Beijos

Adriana disse...

Carol,

Muito bom vc colocar esse texto aqui!!

Acho que esse acontecimento foi mesmo um marco na história do Espiritismo e não poderia ser diferente...

Mas é como já disse Emmanuel: “Não te aflijas com os que te atacam. O martelo que atormenta o prego com pancadas o faz mais seguro e firme”. Ou seja: aqueles que nos criticam prestam um grande serviço; são para nós maravilhosos cooperadores, pois estimulam-nos a trabalhar cada vez mais.

“...quanto mais houver perseguições, mais depressa esta sublime Doutrina chegará ao seu apogeu...”

Tenhamos paciência, pois, com aqueles que nos caluniam, afinal, “cada um aceita a verdade como pode” e chegará o dia em que todos nós esteremos unidos por um só sentimento!...

Beijos!!! :)

Carol disse...

Du =♪♪
Faz parte da historia da doutrina ... muita coisa impressionante, muitos degraus a serem vencidos.
Beijo no seu coração docinho!

Dri = ♪♪
Infelizmente “ O martelo que atormenta o prego também o enverga”, mas o da vida se não houvesse as provas? Pois bem o Sr ajude a todos nós a vencê-las.
Fica com Jesus.

NANA disse...

É um assunto muito interessante.
Adicionei a página da Wikipédia aos favoritos p/ ler depois com calma.
Bjs.!

Carol disse...

Nana♫♪
Impressionante como tudo concorre para o bem em nossas vidas, pena que não percebemos isso! Vamos observar mais, pra não perder a oportunidade.
Beijo em seu coração!